Aerosmith encerra Monsters Of Rock com maestria

Aerosmith-Monsters-of-Rock-FuteRock

Por Charley Gima

O Aerosmith, banda liderada pelo vocalista Steven Tyler, encerrou o festival Monsters of Rock com muita disposição e música boa! O dia, que havia começado com as bandas Doctor Phoebes e Dr. Sin, prometia muita Hard Rock e faria a galera das antigas se deliciarem com as bandas do cast.

Drsin-Monsters-of-Rock-FuteRock

Tá certo que, na minha singela opinião, faltou uma ou duas atrações com mais nome, já que somente Whitesnake junto com o Aerosmith levariam o mesmo público ao Anhembi, que ficou bem abaixo do dia anterior. Prova disso foi a grande quantidade de pessoas que chegaram somente para ver estas duas bandas.

Dokken-Monsters-of-Rock-FuteRock

O Dokken entrou no palco e muitos fãs reclamaram do vocalista, que não conseguiu agradar ao vivo. A banda realmente parou no tempo e Don Dokken pediu pros fãs imaginarem estar em 1987…

Geoff-Tate-Queensryche-Monsters-of-Rock-FuteRock

Queensrÿche de Geoff Tate fez um show empolgante, mas atrapalhado pela má sonorização dos PAs. Não faltaram hits como Jet City Woman, Empire e Silent Lucidity, cantada em coro por todos no Arena Anhembi. É inegável que a banda que acompanha Geoff Tate é ótima, mas para um fã das antigas do Queensryche como eu nada melhor que ver e ouvir Chris DeGarmo tocando e cantando com Tate.

Monsters-of-rock-sol-FuteRock

Com o Sol a pino, músicos e fãs sofriam com o calor! Neste dia o boné deve ter sido o merchandise oficial mais vendido e, com certeza, as cervejas se acabaram! Quem caminhou pela Arena Anhembi pôde vibrar com as tendas do Wikimetal e Rock on Line, onde bandas tocavam vários sucessos. O bar Manifesto também se fez presente com uma tenda vendendo bebidas, assim como a Tagima estacionou seu ônibus dentro do festival e mostrou algumas guitarras e baterias.

Marcelo Rossi, fotógrafo oficial das cinco edições do Monsters of Rock, fez uma apresentação de algumas fotos de todas as cinco edições do Monsters of Rock, um apanhado geral, mostrando artistas e fatos como montagem de palco e backstage. Tive e honra e o privilégio de ter duas fotos minhas entrevistando Sebastian Bach para a BURNN! Magazine do Japão, no Monsters of Rock de 1996, incluídas nesta compilação!

ratt-monsters-of-rock-futerock

Voltando ao palco principal era hora Buckcherry, que fez um show simples e não acrescentou muito ao festival, assim como o Ratt, que fez um set para agradar os fãs, e só, tocando sucessos como Body Talk, Back for More e Round and Round abrindo caminho para o Whitesnake de David Coverdale, que se mostrou muito simpático no palco e na entrevista pré show concedida a Eddie Trunk, do That Metal Show.

whitesnake-coverdale-monsters-of-rock-FuteRock

É lógico que não faltaram hits como Love ain´t no stranger, Is this love e várias outras músicas que falam sobre sexo e transas, como definiu o próprio Coverdale durante a entrevista antes do show. Os solos dos músicos do Whitesnake foram cansativos e desnecessários, do ponto de vista do fã, mas sabendo que Mr. Coverdale precisa tomar um fôlego pra poder continuar o show até que é aceitável…

aerosmith-steven-tyler-monsters-of-rock-futerock

Foi então que, após um certo atraso fora da programação, entrou no palco Steven Tyler e Cia, mais conhecidos como Aerosmith! É gratificante ver músicos do calibre de Tyler e Joe Perry tocando juntos por tanto tempo, mostrando química e energia no palco, atitudes que uma verdadeira banda de Rock deve ter!

O Aerosmith misturou músicas e hits de várias épocas diferentes, e abriu o show com Back in the Saddle com Love in Elevator já na sequência, seguida por Toys in the Attic. Foi então que Steven Tyler falou com o público:  “Oi, São Paulo. Vocês sentiram nossa falta que nem sentimos a de vocês?”, perguntou o vocalista do Aerosmith.

Eat the Rich me fez lembrar o Monsters of Rock de Donigton Park, na Inglaterra, quando vi o Aerosmith pela primeira vez ao vivo, em 1994. Me senti privilegiado por poder ver a banda em duas edições distintas do festival, em dois países diferentes! Living on the Edge e I don´t wanna miss a thing foram cantadas em uníssono pelos fãs da banda. Infelizmente essa hora já havia muito menos público, já que os fãs que contavam com o transporte público pra poder voltar pra casa já haviam ido embora, muito a contra gosto…

No bis tivemos Dream On, com Steven Tyler no piano, seguida de Sweet Emotion, que encerrou o show. Um final com gosto de quero mais, com Tyler apresentando toda a banda após o término da música e saindo do palco aos poucos, fazendo muitas gracinhas com o público através da câmera e dos telões.

Que venha o Monsters of Rock de 2014!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s